SEGURANÇA

Assessoria de Segurança da FETCESP

Criada em 1992 com o objetivo de acompanhar e analisar a evolução do roubo e furto de cargas, especialmente no Estado de São Paulo, bem como agilizar o encaminhamento dessas ocorrências aos órgãos policiais, em busca do atendimento ao sinistro no menor tempo possível.

Desde então, tem atuado diretamente na comunicação das ocorrências, no acompanhamento das investigações decorrentes, na produção de estatísticas periódicas e na atualização de banco de dados de interesse do setor.

Em igual nível de importância, a Assessoria de Segurança desenvolve um abrangente trabalho de assessoramento no Gerenciamento de Risco voltado à segurança das cargas, dos veículos e das instalações das empresas e, também, no estudo e elaboração de propostas de medidas preventivas e repressivas aplicáveis no combate aos delitos de carga, em níveis governamental e empresarial.

Entre outras ações, a Assessoria, em nível nacional, mantém contatos com as Delegacias Especializadas no combate aos delitos de cargas em diferentes Estados e colabora, como representante do TRC, em ações desenvolvidas pelo Ministério da Justiça, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e Congresso Nacional, no combate aos delitos de carga no País.

Contato com a Assessoria de Segurança

Rua Orlando Monteiro, nº 21
Vila Maria – São Paulo/SP
CEP: 02121-021

Fone: (11) 2632-1030
E-mail: seguranca@setcesp.org.br

EM CASO DE ROUBO/FURTO

Recomenda-se aos Sindicatos filiados à FETCESP que orientem aos seus Associados no sentido de que, em casos de roubo ou furto de cargas e/ou veículos de carga, adotem sequencialmente o seguinte procedimento:

1º – Ligar imediatamente para o telefone 190 da área do sinistro e, também, para a Gerenciadora de Riscos contratada pela empresa (quando houver)

O telefone 190 é do Centro de Operações da Polícia Militar (COPOM) da área, para comunicar “situações de emergência”.

Ao receber a comunicação, o COPOM, de imediato, dá início a dois procedimentos:

  • Cadastra a ocorrência no Sistema Operacional da Polícia Militar – SIOPM, sistema informatizado que hoje permite, num tempo de até 30 minutos, a integração de todas as comunicações cadastradas no Sistema. (Não há mais hoje a necessidade de ligação para os COPOM’s de outras áreas, como forma de agilizar a comunicação da ocorrência; ao contrário, ligações desnecessárias servirão apenas para congestionar e tornar lento o tráfego de mensagens);

  • Transmite via rádio um “alerta geral” às viaturas policiais que realizam o policiamento ostensivo na área, de modo a possibilitar a “pronta-resposta” e a localização do veículo.
     

A Gerenciadora de Riscos, além da tratativa da questão securitária, acionará os seus contatos policiais para atuar no caso.

2º – Comparecer ao Distrito Policial mais próximo e registrar a ocorrência (“Boletim de Ocorrência” – BO).

O Boletim de Ocorrência é o documento que oficialmente comprova que ocorreu o sinistro. É documento necessário para procedimentos legais, particularmente quanto a indenizações de seguro.

3º – Comunicar a ocorrência, sempre que julgar necessário, à Assessoria de Segurança da FETCESP.

A Assessoria de Segurança, quando acionada e em complemento às ações já realizadas pela empresa, comunicará a ocorrência para seus contatos policiais, inclusive em outros estados, quando for o caso.

Em caso de dúvidas sobre a conduta ou necessidade de orientação detalhada sobre os procedimentos a serem realizados em situações de roubo ou furto de carga e/ou veículo de cargas, entre em contato com a Assessoria de Segurança da FETCESP.

LEVANTAMENTO ESTATÍSTICO

Esclarecimentos

Durante o período 1º de janeiro de 2006 a 31 de dezembro de 2011 (seis anos), como resultado de uma parceria vigente à época entre a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP/SP) e entidades representativas do TRC paulista (FETCESP e SETCESP), os Levantamentos Estatísticos relativos ao Roubo de Cargas no Estado de São Paulo apresentam um maior detalhamento de informações.

– A partir de 1º de janeiro de 2012, aquela parceria foi desfeita por decisão política da SSP/SP e os Levantamentos Estatísticos apresentados a partir daí são os produzidos exclusivamente pela Secretaria.

Estatísticas

Roubo de Cargas - São Paulo

Janeiro à Setembro de 2020

Capital - 48,47%

2.055 Ocorrências

Região Metropolitana (exceto Capital) - 28.23%

1.197 Ocorrências

Interior - 23.30%

988 Ocorrências

Análise Sintética Comparativa

Ocorrências ( Fonte: SSP/SP )

  • 2018
    8.738 Ocorrências (Média mensal: 728,17 ocorrências) 

  • 2019
    7.325 Ocorrências (Média mensal: 610,41 ocorrências)

  • 2020
    4.240 Ocorrências (Média mensal: 471,11 ocorrências)

Conclusões analíticas relativas ao período de Janeiro à Setembro de 2019

No ano de 2020 registra-se uma REDUÇÃO em ocorrências (22,82 %), em relação à média mensal do ano anterior.

Quanto à localização das ocorrências, o roubo de cargas está altamente concentrado (76.70%) na Capital e demais Municípios da Região Metropolitana.

Quanto à localização das ocorrências nas áreas do INTERIOR (Departamentos de Polícia Judiciária de São Paulo Interior – DEINTERs) os números registrados em 2020 são os seguintes:

  • DEINTER/1 (São José dos Campos):
    85 ocorrências (em 2019: 181 ocorrências).

  • DEINTER/2 (Campinas):
    368 ocorrências (em 2019: 512 ocorrências).

  • DEINTER/3 (Ribeirão Preto):
    79 ocorrências (em 2019: 170 ocorrências).

  • DEINTER/4 (Bauru):
    18 ocorrências (em 2019: 42 ocorrências).

  • DEINTER/5 (São José do Rio Preto):
    09 ocorrências (em 2019: 17 ocorrências).

  • DEINTER/6 (Santos):
    200 ocorrências (em 2019: 395 ocorrências).

  • DEINTER/7 (Sorocaba): 
    63 ocorrências (em 2019: 104 ocorrências).

  • DEINTER/8 (Presidente Prudente):
    13 ocorrências (em 2019: 15 ocorrências).

  • DEINTER/9 (Piracicaba):
    147 ocorrências (em 2019: 285 ocorrências).

  • DEINTER/10 (Araçatuba): 
    06 ocorrências (em 2019: 08 ocorrências).